Campus Universitário de Alto Araguaia

Universidade do Estado de Mato Grosso

Nov
17

PIBID

Postado por Miguel Rodrigues

 

PIBID proporciona experiência docente a acadêmicos de Letras e Computação

 

O PIBID Interdisciplinar Letras e Computação de Alto Araguaia, coordenado pela Professora Shirlene Rohr de Souza, tem como proposta investir na formação acadêmica/docente dos futuros professores de Língua Portuguesa e de Língua Inglesa, oferecendo um conjunto de atividades que visa atender aos novos paradigmas do ensino, que incluem agora o uso de tecnologias digitais no processo educacional. Assim, com ações interdisciplinares, os 22 bolsistas dos cursos de Letras e de Computação buscam alternativas para desenvolvimento de materiais digitais específicos para ensino de línguas.

Sob a orientação da Professora Ana Carolina de Laurentiis Brandão, em 2014-2, a ênfase do subprojeto foi no ensino de Língua Inglesa, com leitura dos PCN’s, produção de materiais didáticos e aplicação desses materiais em séries do Ensino Fundamental; além disso, a fim de ajudar a desenvolver as habilidades de leitura e escrita do inglês, os alunos fizeram o Curso My English online – oferecido pelo MEC/CAPES – e participaram de workshops e de oficinas de inglês. Em 2015-1, a ênfase será no ensino de Língua Portuguesa, com atividades voltadas para a ortografia e para a leitura e produção de textos. Essa etapa do trabalho visa melhorar o texto dos próprios bolsistas de Iniciação à Docência, e fazê-los viver a experiência de trabalhar todas as etapas que envolvem a produção de texto: leituras, proposta de produção de texto e intervenção no texto do aluno, com posterior oferta de atividades que visam o aprimoramento do uso da norma padrão da Lìngua Portuguesa.

As experiências vividas nos subprojetos do PIBID diferem de outras ações que visam oferecer ao acadêmico uma experiência mínima em sala de aula, como o Estágio e as Práticas Curriculares, pois é ininterrupto: ao longo de quatro anos, o licenciando vive efetivamente a experiência cotidiana de uma escola, em toda a sua dinâmica, com todos os seus movimentos; o bolsista acompanha, em ambiente autêntico, os problemas pontuais do ensino de línguas, bem como acompanha os problemas que afetam o ensino como um todo: indisciplina, violência, alunos com défict de aprendizagem et cétera.

Além dos 22 acadêmicos dos cursos de Letras e de Computação, o PIBID Interdisciplinar de Alto Araguaia conta com a participação efetiva de 4 professores da rede estadual de ensino: 2 professoras de Língua Portuguesa: Marineide Francisca de Moraes (Escola Estadual Carlos Hugueney) e Naide Silva Carvalho (Escola Estadual Maria Auxiliadora),  e 2 professoras de Língua Inglesa: Maria Carmem Dutra (Escola Estadual Carlos Hugueney) e Mirian Gomes Rezende Farias (Escola Estadual Maria Auxiliadora). Dessa forma, além de ajudar na formação dos bolsistas de Iniciação à Docência, o subprojeto se constitui também como um programa permanente de capacitação dos professores envolvidos, o que, naturalmente, repercute diretamente na sala de aula desses professores, alcançando os alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Sobre o PIBID

O PIBID é um Programa do Ministério da Educação, gerenciado pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), cujo objetivo maior é o incentivo à formação de professores para a Educação Básica e a elevação da qualidade da escola pública.

Sendo um programa de iniciação à docência, os participantes são alunos dos cursos de Licenciatura que, inseridos no cotidiano de escolas da rede pública, planejam e participam de experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar, e que buscam a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem.

As equipes, em diversas áreas do conhecimento, são formadas por: estudantes de graduação (licenciandos), professores das escolas públicas conveniadas (supervisores) e Coordenadores de Área (professores das IES).

Com informações da professora Shirlene Rohr de Souza e do site da CAPES.

Miguel Rodrigues Netto – Assessoria de Imprensa e Comunicação/AIA

Nov
14

ELEIÇÕES

Postado por Miguel Rodrigues

Candidaturas são homologadas pela Comissão Eleitoral

 

Foram homologadas as candidaturas aos cargos de Diretor Político-Pedagógico e Financeiro, Diretor da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas e de Coordenadores de Curso de Letras e Jornalismo. Não houve inscrição de candidato para o cargo de Coordenador do Curso de Ciência da Computação.

As eleições ocorrem no próximo dia 09 de dezembro e para os quatro em que houveram inscritos a votação será para chapa única com apenas um candidato disputando cada cargo. Conheça os candidatos que concorrem no próximo dia 09/12:

Gislaine Aparecida de Carvalho – Diretoria Político-Pedagógico e Financeira do Campus

A professora doutora Gislaine Aparecida de Carvalho concorre ao cargo de Diretora Político-Pedagógica e Financeira do Campus Universitário de Alto Araguaia. A professora é Licenciada em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Jales, possui Mestrado e Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP. Atua na UNEMAT desde 1998.

Marilena Inácio de Souza – Diretoria da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas

A professora doutora Marilena Inácio de Souza concorre ao cargo de Diretora da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas – FALECT. A professora é Licenciada em Letras pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT. Mestre em Estudos de Linguagem pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT e Doutora em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR. Atua na UNEMAT desde 2003.

Danilo Persch – Coordenação do Curso de Licenciatura em Letras

O professor doutor Danilo Persch concorre ao cargo de Coordenador do Curso de Licenciatura em Letras. O professor é Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUCCAMP e Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR. Atua na UNEMAT desde 1997.

Antônia Alves Pereira – Coordenação do Curso de Bacharelado em Jornalismo

A professora mestre Antônia Alves Pereira concorre ao cargo de Coordenadora do Curso de Bacharelado em Jornalismo. A professora é Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT e Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo – USP. Atua na UNEMAT desde 2014.

Confira os atos de homologação das candidaturas:

HOMOLOGAÇÃO CAMPUS

HOMOLOGAÇÃO FACULDADE

HOMOLOGAÇÃO LETRAS

HOMOLOGAÇÃO JORNALISMO

As informações sobre os professores foram coletadas com base no currículo da plataforma lattes.

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

Nov
14

PTES

Postado por Miguel Rodrigues

Sindicato dos Técnicos elege nova diretora, conselhos e seções sindicais 

O Sindicato dos Técnicos da Educação Superior – SINTESMAT divulgou o resultado da eleição para a nova diretoria executiva, membros dos conselhos fiscal, de ética e também das seções sindicais. Ao todo a chapa intitulada seguindo na luta obteve 300 votos e foi eleita para o biênio 2015/2016.

A nova diretoria executiva será composta por Luiz Wanderlei dos Santos – Presidente, Jeferson Odair Diel – Vice-presidente, Luizito Sales da Costa – Secretário Geral, Josemara Sabrina dos Santos – 1ª Secretária, Luiz Mar Faquini Junior – Tesoureiro Geral, Daniel Ferraz Buhler – 1º Tesoureiro, Carlos Roberto dos Santos Júnior – Coordenador de Assuntos Jurídicos, Kleber Magalhães Ferreira – Coordenador de Assuntos Socioculturais e Esportes, Gabriel Schardong Ferrão – Coordenador de Gestão de Pessoas, Contratos e Convênios e Eder Correia Salomão – Coordenador de Comunicação Sindical.

Os membros eleitos para comporem o Conselho Fiscal foram: Odair José da Silva, Marlon Borges dos Santos, Ednamar Gabriela Palú, Adalgisa Marques Amorim Silva e Amir Fonseca Montecchi Júnior. Para o Conselho de Ética foram eleitos: Welton Neves Vilela, Jonilson Pinto de Miranda, Alessandro Carvalho de Melo, Marcelo Berigo e Claudinei da Silva Lara.

Com relação as seccionais foram eleitas diretorias nos seguintes locais: Alta Floresta, Barra do Bugres, Cáceres, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Sede Administrativa, Sinop e Tangará da Serra.

Sobre o SINTESMAT

O Sindicato dos Técnicos da Educação Superior – SINTESMAT é a entidade de representação sindical dos integrantes da carreira dos Profissionais Técnicos da Educação Superior – PTES da UNEMAT. Fundado em 25 de fevereiro de 2008 no I Congresso dos Técnicos da Educação Superior – CONTESMAT, o sindicato tem desenvolvido suas ações em prol da melhoria da carreira dos PTES. Em 2008 um novo PCCS foi implantado com a LC 321/2008, o que representou grande avanço na categoria. Já em 2013 uma nova mudança resultou na LC 501/2013, onde outras reivindicações foram atendidas. No Congresso Universitário da UNEMAT realizado em 2008 uma das conquistas mais importantes para a categoria foi o voto paritário para eleição de todos os dirigentes da instituição.

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

Nov
13

PERDA

Postado por Miguel Rodrigues

Morre o poeta Manoel de Barros, aos 97 anos

Recluso, autor criou linguagem própria, transformando a natureza em matéria-prima para versos 

 

O escritor cuiabano Manoel de Barros morreu nesta quinta-feira, aos 97 anos. Ele foi internado no dia 24 de outubro no Proncor, em Campo Grande (MS), para uma cirurgia de desobstrução do intestino. A causa da morte ainda não foi divulgada. O escritor completaria 98 anos em 19 de dezembro.

Em agosto de 2013, quando perdeu seu segundo filho, o primogênito Pedro, vítima de um AVC (cinco anos depois de João, que morreu num acidente de avião), Manoel de Barros desabou. A filha Martha afirmou, então, que depois da perda, e por causa da idade, “ele estava se apagando como uma velinha”. Uma imagem poética que faz jus a um personagem cuja dedicação aos versos teve o afinco e a simplicidade de quem vê o mundo pela lente da beleza.

Nos últimos anos, por conta da saúde debilitada, praticamente não saía de casa, em Campo Grande, sob os cuidados da filha e da mulher, Stella, com quem estava casado desde 1947. No ano passado, antes de completar 97 anos, ainda escreveu o poema “A turma”, e então se recolheu no silêncio. Não conseguia mais escrever e se alimentava com dificuldade.

Isso não significava que as edições de seus livros estivessem no limbo. Suas obras continuam despertando a atenção dos leitores-admiradores. Em fevereiro, a editora Leya lançou uma caixa com sua poesia completa, composta de 18 livros (incluindo o poema inédito). No final de outubro, o selo Alfaguara (Objetiva) anunciou a contratação da obra do poeta, que começará a ser reeditada no segundo semestre de 2015.

Além disso, dezenas de cartas que o escritor trocou com figuras como o bibliófilo José Mindlin, o embaixador Mário Calábria e o editor Ênio Silveira foram levantadas por pesquisadoras e, podem, no futuro, serem reunidas em livro.

Nascido em Cuiabá em 1916, Manoel era filho do capataz João Venceslau Barros. Viveu por muitos anos em Corumbá (MS), antes de se mudar para a capital sul-mato-grossense.

Ainda criança, passava longas temporadas na fazenda do pai, no Pantanal, onde desenvolveu o olhar para os movimentos da natureza. Engana-se, porém, quem o vê como um “poeta do Pantanal”, rótulo que ele sempre recusou. “A poesia mexe com palavras e não com paisagens”, justificava.

VISIONÁRIO DA HUMILDADE

Manoel foi aluno interno em escolas em Campo Grande e depois no Rio de Janeiro. Quando cursava o internato São José, na Tijuca, descobriu os sermões do padre Antonio Vieira, com quem aprendeu “a beleza de uma sintaxe”.

Jovem estudante de Direito na então capital federal, acabou se envolvendo com figuras comunistas da cena carioca. Mas, depois de romper com o Partido Comunista ao saber que Luis Carlos Prestes deu seu apoio à Getúlio Vargas, desiludiu-se com a política e resolveu viajar.

Passou por Bolívia e Peru (“vivendo como um hippie”, dizia), antes de chegar a Nova York. Na cidade americana, viu “as novidades do mundo” e fez cursos de cinema e artes plásticas. Na volta ao Brasil, conheceu a mineira Stella no Rio de Janeiro e três meses depois já estava casado.

Mesmo sendo considerado um dos maiores autores brasileiros, comparado frequentemente a Guimarães Rosa e ao português Fernando Pessoa, sua reclusão por tantas décadas em terras pantaneiras e a timidez acabaram dificultando a divulgação de sua obra. Nos anos 1980, admiradores famosos de seus versos, como Millôr Fernandes e Antônio Houaiss, começaram a divulgar poemas de Manoel de Barros, ou a citá-lo em colunas de jornais.

O filólogo, que admirava o poeta desde o seu primeiro livro, via nele um “visionário da humildade e solidariedade humanas”. Já Carlos Drummond de Andrade chegou a declarar que o cuiabano era o “maior poeta brasileiro” vivo. O sucesso do filme “Caramujo-flor” (1989), do cineasta sul-matogrossense Joel Pizzini, ensaio visual baseado na vida e na obra de Manoel, também responsável pelo reconhecimento tardio.

Com tantos elogios, Manoel começou a chamar atenção das editoras e do público. Ganhou dois prêmios Jabutis (por “O guardador de águas”, em 1989, e “O fazedor do amanhecer”, em 2002) e teve livros publicados em Portugal, França, Espanha e Estados Unidos. Em 1998, recebeu o Prêmio Nacional de Literatura do Ministério da Cultura, pelo conjunto do seu trabalho.

Sua obra mais conhecida é “O livro sobre o nada”, lançada em 1996, no qual aperfeiçoou o seu autodeclarado “idioleto manoelês archaico” — uma linguagem própria criada para transmitir o desregramento dos sentidos. O autor, contudo, considerava seu primeiro livro, “Poemas concebidos sem pecado”, de 1937, o melhor.

Em 1998, o autor explicou seu processo de escrita em entrevista ao GLOBO:

— Eu estou trabalhando com a palavra e aí me vem uma ideia. E por isso não acredito em inspiração, acredito em trabalho.Mas sei também que transformar palavra em verso, combinar o ritmo com a ressonância verbal, é um dom linguístico. Tenho frases poéticas que são versos. Sei fazer frases.

POPULAR, MAS POUCO AVALIADO

Embora tenha sido por várias vezes o poeta que mais vendeu livros no Brasil, Manoel chegou a comentar que gostaria de também ter sido mais avaliado pelos grandes críticos literários do país, relatou a pesquisadora e professora de Letras da UFMG Lúcia Castello Branco em entrevista ao caderno Prosa, em fevereiro deste ano.

O escritor é objeto frequente da academia, por meio da realização de dissertações e teses, mas, na opinião dela, a crítica deixa a desejar. Em uma reportagem do “Jornal do Brasil” de 1988, na qual era descrito como “o poeta que poucos conhecem”, Manoel explicou os motivos do seu isolamento: “Não tenho boa convivência com a glória. Acho que ela me perturbaria. Preciso muito do escuro”.

No documentário “Só dez por cento é mentira”, lançado em 2008 por Pedro Cezar, ao ser indagado sobre como gostaria de ser lembrado, Manoel ri, coça o peito, diz que a pergunta é cruel; já mais sério, fala que o único jeito é pela poesia. “A gente nasce, cresce, amadurece, envelhece, morre. Pra não morrer, tem que amarrar o tempo no poste. Eis a ciência da poesia: amarrar o tempo no poste”.

Matéria publicada no portal do jornal O Globo do Rio de Janeiro.

Miguel Rodrigues Netto - ASSICOM/AIA. 

Nov
07

ELEIÇÃO NOS CURSOS

Postado por Miguel Rodrigues

Cursos de Ciência da Computação, Jornalismo e Letras abrem processo eleitoral para coordenadores

Estão abertos os processos eleitorais para a escolha dos próximos Coordenadores dos Cursos de Ciência da Computação, Jornalismo e Letras do Campus Universitário de Alto Araguaia.

Os interessados podem ser inscrever até o próximo dia 12 de novembro das 8 às 18 horas junto a Comissão Eleitoral instituída pelo Ato de Designação 002/2014 – DPPF composta por 07 docentes, 02 técnico-administrativo e 01 discente conforme proporcionalidade estabelecida pelo Estatuto da Unemat. A comissão é presidida pelo professor Gibran Luís Lachowsky.

Para se inscrever ao cargo de Coordenador de Curso, o interessado deve preencher os seguintes requisitos conforme os Editais 003/2014 (Computação) 004/2014 (Letras) e 005/2014 (Computação):

a) Efetividade no cargo do Magistério Superior da UNEMAT;

b) Estar lotado na Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas (FALECT) do Campus e ministrar ao menos uma disciplina no Curso para o qual se está candidatando;

c) Titulação mínima de Mestre.

O colégio eleitoral para a eleição de Coordenador de Curso é composto pelos docentes que ministrem ao menos 1 (uma) disciplina no curso, os Profissionais Técnicos da Educação Superior (PTES) vinculados ao curso e que estejam desenvolvendo suas atividades na Coordenação do Curso, na Faculdade, na Supervisão de Apoio Acadêmico ou nos laboratórios e os discentes matriculados no curso.

O Colégio Eleitoral para a presente eleição é formado pela totalidade dos docentes e PTES vinculados e discentes matriculados no Curso. Considera-se vinculado o docente que ministrar, no Curso, ao menos uma disciplina no semestre em que ocorrer a eleição. Considera-se vinculado ao Curso o PTES que atuarem em atividades específicas do Curso e estejam desenvolvendo suas atividades na Coordenação do Curso, na Faculdade na qual o Curso é vinculado, na Supervisão de Apoio Acadêmico ou nos laboratórios, caso o Curso utilize laboratórios. Poderão votar os alunos do Curso regularmente matriculados em pelo menos uma disciplina no semestre 2014/2.

O voto é secreto, direto e paritário entre os três segmentos da Unemat. As eleições ocorrerão no dia 09 de dezembro no período das 09 às 22 horas, considerando-se o horário praticado no campus de Alto Araguaia.

O mandato de Coordenador de Curso é de 2 (dois) anos, nos termos do art. 62 do Estatuto da Unemat.

Confira quais são as atribuições do coordenador de curso conforme o Estatuto da Unemat:

Art. 63 Ao Coordenador de Curso compete:

I. Administrar o Curso;

II. Convocar e presidir as reuniões do Colegiado de Curso;

III. Tomar as providências de ordem administrativa, financeira, disciplinar e didático-científica-pedagógica, necessárias ao funcionamento do Curso;

IV. Submeter à apreciação do Colegiado de Curso o plano de atividades do curso a ser desenvolvido no período letivo;

V. Encaminhar aos órgãos competentes as informações referentes ao Curso necessárias à elaboração de planos de trabalho e do orçamento da unidade;

VI. Apresentar à Faculdade e ao Colegiado Regional, após apreciação do Colegiado de Curso, o relatório de avaliação das atividades do curso;

VII. Distribuir as ações de ensino, bem como orientar e supervisionar a execução das respectivas atividades;

VIII. Controlar a assiduidade do pessoal docente do Curso, encaminhando seu registro à Coordenação do Campus, para providências;

IX. Cumprir e fazer cumprir o calendário acadêmico e os planos de ensino, pesquisa e extensão;

X. Encaminhar à Faculdade em tempo hábil as eventuais substituições de docentes;

XI. Ter sob sua responsabilidade os bens patrimoniais alocados ao Curso;

XII. Responsabilizar-se pela regularização dos cursos ofertados, através do encaminhamento, às instâncias competentes, da documentação pertinente às ações de autorização, reconhecimento ou renovação de reconhecimento, atendendo as legislações pertinentes;

XIII. Encaminhar à Faculdade o levantamento de vagas existentes nos cursos;

XIV. Adotar medidas essenciais à eficiência do Curso.

EDITAL LETRAS

EDITAL JORNALISMO

EDITAL COMPUTAÇÃO

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

 

Nov
07

ELEIÇÕES

Postado por Miguel Rodrigues

Campus de Alto Araguaia abre processo eleitoral para Diretor Político-Pedagógico e Financeiro e Diretor de Faculdade

 

Está aberto o processo eleitoral para a escolha do próximo Diretor Político-Pedagógico e Financeiro – DPPF do Campus Universitário de Alto Araguaia e também para escolha do próximo Diretor da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas – FALECT. 

Os interessados podem ser inscrever até o próximo dia 12 de novembro das 8 às 18 horas junto a Comissão Eleitoral instituída pelo Ato de Designação 002/2014 – DPPF composta por 07 docentes, 02 técnicos-administrativos e 01 discente conforme proporção estabelecida pelo Estatuto da Unemat. A comissão é presidida pelo professor Gibran Luis Lachowsky.

Para se inscrever ao cargo de Diretor Político-Pedagógico e Financeiro, o interessado deve preencher os seguintes requisitos conforme o Edital 001/2014:

a) Efetividade no cargo do Magistério Superior da UNEMAT;

b) Tempo de serviço ininterrupto de, no mínimo, 04 (quatro) anos;

c) Titulação mínima de Mestre.

d) Lotação no Campus Universitário de Alto Araguaia.

Já no caso do interessado que concorrer a Diretor da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas, deverá atender aos seguintes requisitos conforme o Edital 002/2014:

a) Efetividade no cargo do Magistério Superior da UNEMAT;

b) Estar lotado na Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas (FALECT) do Campus;

c) Tempo de serviço ininterrupto de, no mínimo, 04 (quatro) anos;

d) Titulação mínima de Mestre.

O colégio eleitoral para a eleição de Diretor Político-Pedagógico e Financeiro é composto pelos docentes lotados no campus, os Profissionais Técnicos da Educação Superior (PTES) lotados no campus e os discentes matriculados em cursos de graduação ou pós-graduação vinculados ao campus. No caso do Diretor de Faculdade o colégio eleitoral é composto pelos docentes lotados na faculdade, os PTES vinculados a Faculdade e que estejam desenvolvendo suas atividades na Coordenação do Curso, na Faculdade, na Supervisão de Apoio Acadêmico ou nos laboratórios e os discentes matriculados em cursos de graduação e pós-graduação vinculados a faculdade.

O voto é secreto, direto e paritário entre os três segmentos da Unemat. As eleições ocorrerão no dia 09 de dezembro no período das 09 às 22 horas, considerando-se o horário praticado no campus de Alto Araguaia.

O mandato de Diretor Político-Pedagógico e Financeiro é de 4 (quatro) anos, nos termos do art. 78 do Estatuto da Unemat. Já o mandato de Diretor de Faculdade é de 2 (dois) anos, nos termos do art. 49 do Estatuto da Unemat.

Confira quais são as atribuições dos cargos em disputa conforme o Estatuto da Unemat:

Art. 79 Ao Diretor de Unidade Regionalizada Político-Pedagógico e Financeiro compete:

I. Executar os recursos orçamentários de acordo com o planejamento da Unidade Regional;

II. Zelar pela fiel execução das normas e dos princípios da UNEMAT;

III. Convocar e presidir o Colegiado Regional;

IV. Apresentar às Pró-reitoras competentes o plano de trabalho anual executado, bem como sua prestação de contas e o planejamento para o exercício seguinte;

V. Prestar contas e apresentar anualmente ao Colegiado Regional o relatório de atividades do Campus;

VI. Propor convênios e contratos;

VII. Ter sob sua responsabilidade os bens patrimoniais alocados à Unidade Regionalizada;

VIII. Adotar medidas essenciais à eficiência da Unidade Regionalizada;

IX. Promover a articulação das atividades político-pedagógicas das instâncias que compõe a Unidade Regionalizada.

Art. 50 Ao Diretor de Faculdade compete:

I. Executar e articular as atividades de ensino, pesquisa e extensão de áreas afins;

II. Atuar de forma integrada com as Pró-reitoras na execução das diretrizes gerais da UNEMAT;

III. Elaborar, em conjunto com os Diretores de Unidade Regionalizada e Coordenadores de Cursos, o plano de atividades e a proposta orçamentária da unidade encaminhando-o à Pró- reitoria competente;

IV. Elaborar o relatório anual das atividades realizadas, encaminhando-os à Pró-reitora competente;

V. Cumprir e fazer cumprir as deliberações dos Conselhos Superiores;

VI. Controlar e fiscalizar o emprego de verbas autorizadas;

VII. Promover a integração dos cursos afins da Instituição com outras instituições públicas e privadas;

VIII. Acompanhar a execução das atividades dos Departamentos e cursos vinculados à Faculdade;

IX. Articular, em conjunto com os departamentos sob sua responsabilidade, reuniões, seminários, encontros científicos e culturais e o intercâmbio com outras instituições;

X. Estimular o desenvolvimento de programas e projetos de caráter coletivo, multi e interdisciplinar, no âmbito da Faculdade;

XI. Apreciar e emitir parecer, quando solicitado, em processos advindos de outras instâncias.

 

ATO DESIGNATIVO DA COMISSÃO ELEITORAL

EDITAL DE ELEIÇÃO DIRETOR POLÍTICO-PEDAGÓGICO E FINANCEIRO

EDITAL DE ELEIÇÃO DA FALECT 

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

 

Nov
07

ENCONTRO

Postado por Miguel Rodrigues

Grupo de Leitura Amálgama convida para encontro sobre Michel Foucault

 

O grupo de leitura Amálgama convida a todos para encontro de leitura e discussão do texto 1984 - O que são as luzes?¹, Michel Foucault, a ser realizado no dia 13 de novembro de 2014, 14h, sala do 1º período de Letras. Coordenação do encontro: Mário Antônio da Silva.

 

DISCUSSÃO

No pequeno texto “O que são as luzes?²”, Michel Foucault retoma uma questão que atravessou a Idade Moderna e chega sem resposta ao contemporâneo: o que é o Iluminismo? Essa indagação fora respondida por Kant, para quem o homem, no Século XVIII – auge do Iluminismo europeu – ainda vivia na menoridade, em razão de sua própria postura subserviente; Kant defende a ideia de que a razão possui um uso privado e um uso público. Para Foucault, ser um “iluminado” não se coloca em campo social, mas em uma atitude individual, um êthos: dessa maneira, em qualquer época, em qualquer sociedade, é possível encontrar “homens maiores” no sentido kantiano, ou seja, homens que estão à frente de seu tempo, pelo que pensa e pelo que faz.

¹ FOUCAULT, Michel. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Organização Manoel Barros da Motta; Tradução Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000, p. 335-351. – Coleção Ditos e Escritos, Volume II.

² Disponível para download em: <http://unigalera.xpg.uol.com.br/FOUCAULT.pdf>.

 

Conheça o grupo de leitura Amálgama

O grupo de leitura Amálgama é um projeto de extensão universitária que está institucionalizado pela Portaria Nº 2057/2014 e tem como coordenador o professor Danilo Persch participam ainda do projeto os professores Aroldo J. Abreu Pinto, Shirlene Rohr de Souza, Claudia Coelho, Cassia Regina Tomanin, Adevaldo Rosa de Lima, Mario Antônio Rosseto e a Bibliotecária Fabiana Souza de Andrade.

O Grupo de Leitura Amálgama se constitui como um grupo de leitura e de estudos, cujo objetivo é funcionar como um ponto de observação social, ou seja, os textos lidos e estudados são relacionados a acontecimentos e eventos que de alguma forma trazem impactos para as sociedades. Em sua dinâmica de trabalhos, os interessados se reúnem para ler e discutir obras previamente determinadas, com o intuito de tornar a prática da leitura e do estudo de textos filosóficos e literários uma atividade dinâmica e produtiva no espaço universitário, capaz de promover a socialização e de fazer compartilhar saberes e conhecimentos, além de estimular a construção de hipóteses para futuras pesquisas.

No último encontro realizado em outubro o grupo discutiu sobre a texto A Indústria Cultural de Adorno & Horkheimer, um encontro onde as ideias fluíram e o enriquecimento de todos os participantes foi alcançado. Ao final ficou a proposta de organizar uma publicação sobre esta e outras temáticas que o grupo discutir nos próximos meses, bem como a participação em eventos científicos.

E aí, ficou interessado? Então não perca tempo, participe da próxima reunião do grupo Amálgama no dia 13 de novembro (quinta-feira) às 14 horas no 1º período de Letras, os encontros são abertos ao público e todos/as estão convidados/as.

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

 

Nov
07

SUPERANDO AS ESPECTATIVAS

Postado por Miguel Rodrigues

XV Semana de Letras de Alto Araguaia lançou olhares sobre a temática Letras e Ensino

 

XV Semana de Letras realizada entre os dias 29 e 31 de outubro se organizou em torno de dois eixos: as pesquisas que se desenvolvem no Campus de Alto Araguaia nas áreas de Língua Portuguesa, Línguas Estrangeiras, Literatura e a relação do Curso com o Ensino e com a Educação. Por isso o tema gerador do evento é LETRAS E ENSINO. A proposta da XV Semana de Letras foi oferecer uma visão mais ampla do Curso de Letras, bem como colocar em discussão algumas questões relativas às práticas de linguagem no âmbito das escolas, no contexto atual.

O evento oferecereu atividades diurnas, com oficinas, comunicações, minicursos e mostra de trabalhos didáticos, e noturnas, com mesas de debates e conferências. A diversidade das atividades procurou atender a demanda multifacetada da comunidade acadêmica e da comunidade externa, sempre em busca de informações e de novas atualizações. Todo o evento recebeu o apoio do PIBID Interdisciplinar de Alto Araguaia.

Ao final da XV Semana de Letras, o balanço foi que os participantes foram contemplados com discussões críticas que os ajudaram a refletir com mais maturidade sobre as trajetórias possíveis para o Curso de Licenciatura em Letras e sobre as questões que perpassam o Ensino, em seu lugar mais sensível: as salas do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Como destaques da Semana podemos citar dentre outras atividades as oficinas de Estratégias de Leitura de Textos tanto em Língua Portuguesa com as professoras Marineide Moraes e Naide Silva Carvalho quanto em Língua Inglesa com as professoras Maria Carmem Dutra e Mirian Gomes Farias; também a oficina sobre Formatação de trabalhos acadêmicos com a bibliotecária Fabiana Souza de Andrade foi muito concorrida. Nas conferências o tema “A semântica e o ensino da língua portuguesa sob óticas da alfabetização fônica e audiovisual” proferida pelo professor Milton Chicalé Corrêa e a Mesa de debates “A constituição dos sujeitos, do sentido e da escrita” com os professores Paulo Cesar Tafarelo e Albano Dalla Pria foi um dos destaques.

Os minicursos “Professor reflexivo no Brasil – gênese e crítica de um conceito, segundo Pimenta e Ghedin”, “Abordagens dos processos de ensino e de aprendizagem”, “O que significa ser um bom tradutor de texto na atualidade?” e “Leitura instrumental de tradução de artigos em inglês”, ministrados respectivamente pelos professores Milton Chicalé Correa, Osmar Quim, Elaine Aguiar Figueiredo e Gilmar Martins de Freitas também foram pontos de sucesso do evento.

A expectativa fica agora para a próxima Semana de Letras. O que virá pela frente na XVI? É aguardar e conferir!

 

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA (com colaboração da professora Shirlene Rohr de Souza) 

Nov
03

EVENTO

Postado por Miguel Rodrigues

I Colóquio de Poéticas, Imagens, Tecnologias e Linguagens movimenta o campus a partir desta segunda

 

Começa hoje segue até a próxima sexta-feira, 07 o I Colóquio de Poéticas, Imagens, Tecnologias e Linguagens – COPITEL. O evento reunirá um imensa variedade de atividades das quais destacamos algumas por dia de evento.

Nesta segunda vale destacar a Mesa de abertura intitulada Quadrinhos: História, Linguagens e Processos com a participação dos professores Lawrenberg Advíncula da Silva, Max Robert, Iuri Barbosa Gomes e Rafael Marques. A referida atividade ocorre a partir das 20 horas.

Na terça 04, das 13h30 às 17h30 ocorre o mini-curso: Educação, emancipação e cidadania: com os professores Adevaldo Rosa de Lima, Mário Antônio da Silva e Danilo Persch. Também é destaque do dia a palestra A poética encantatória de Manoel de Barros com a professora Cláudia Coelho que ocorre a partir das 21h30.

Na quarta, 05 de novembro das 8 às 12 horas ocorre exposição de tirinhas Tii Silvin: descobrindo os dialetos do Brasil sob a coordenação da professora Cássia Regina Tomanin. Das 13h30 às 17h30 tem oficina Quadrinhos: origens, história e crítica com o professor Max Robert e mini-curso A sintaxe poética estranhada de Manoel de Barros com a professora Cláudia Teodoro.

Já na quinta o destaque vai para as exposições Manoel de Barros e a mídia impressa (Instituto Memória do Poder Legislativo de Mato Grosso) e Quadrinhos.

E fechando a programação na sexta-feira 07, ocorre o encerramento de mini-cursos, oficinas e exposições e também do projeto cinema itinerante que exibirá das 17h30 às 19 horas o filme Morte e vida Severina com animação baseada na obra de João Cabral de Melo Neto.

Todos estão convidados. Não perca!

Miguel Rodrigues Netto - ASSICOM/AIA

Nov
03

REVISTA CIENTÍFICA

Postado por Miguel Rodrigues

Revista Comunicação, Cultura e Sociedade abre chamada de trabalhos para sua IV edição

 

A Revista Científica Comunicação Cultura e Sociedade – RCCS comunica aos interessados que estão abertas as submissões de trabalhos para sua IV edição. A revista tem como coordenador o Prof. Lawrenberg Advíncula da Silva e sua equipe é composta pelos professores Miguel Rodrigues Netto, Iuri Barbosa Gomes e Rafael Rodrigues Lourenço Marques.

O projeto de extensão que comporta a revista está devidamente institucionalizado pela UNEMAT e a proposta está vinculada ao curso de Comunicação Social do Campus Universitário de Alto Araguaia.

A IV Edição da Revista Comunicação, Cultura e Sociedade trará como tema do dossiê central Mídia, Movimentos Sociais, Espaço Urbano e Cidadania. A ideia desta edição é abrir um diálogo com pesquisadores das mais diversas matrizes teóricas e que lançam olhares contemporâneos acerca das relações que a mídia estabelece nas esferas de movimentos sociais, espaço urbano e cidadania.

Os estudos da mídia na perspectiva dos movimentos sociais visam abrir um diálogo com pesquisadores do campo comunicacional, bem como de áreas afins como sociologia, ciência política e política social na perspectiva de uma teoria da ação social, que consiste em entender a dinâmica dos movimentos tradicionais como partidos e sindicatos, mas também novos ativismos sociais, como os decorrentes das recentes manifestações de junho de 2013.

As discussões decorrentes de uma nova ordem de ocupação e democratização do espaço urbano também fazem parte do enfoque da atual edição, bem como reflexões acerca do processo de construção da cidadania em tempos de desigualdades, identidades plurifacetadas e múltiplas percepções sobre o mundo, a sociedade e a comunicação.

Estaremos a espera de artigos de desenvolvimento teórico, resenhas e entrevistas que contribuam para uma reflexão multidisciplinar acerca das temáticas ora estabelecidas para esta edição. Os trabalhos deverão ser enviados para a revista até 05/12/2014, sendo que serão admitidos para publicação o máximo de 11 propostas, conforme as normas de publicação da revista, não havendo obrigatoriedade com a seleção do número máximo estabelecido pela revista.

Miguel Rodrigues Netto - ASSICOM/AIA

?>