Campus Universitário de Alto Araguaia

Universidade do Estado de Mato Grosso

Ago
28

SIM, NÓS PODEMOS!

Postado por Miguel Rodrigues

Com emoção em votação acirrada Consuni aprova Bacharelado em Direito e Licenciatura em Pedagogia para Alto Araguaia

 

foto-1.jpg

Foi com emoção e angústia, foi em mais uma manhã de calor escaldante de Cáceres onde parecia fazer 40 graus fora e uns 60 dentro do Auditório do Bloco B da Cidade Universitária. Foi com esse clima tenso que mais uma vez a persistência venceu a desconfiança e Alto Araguaia deu o passo mais importante rumo à reestruturação e fortalecimento.

A vitória da véspera com a criação da comissão de fortalecimento que acabou com a possibilidade de transferência dos cursos ainda era comemorada, mas se sabia que a aprovação das turmas especiais de Direito e Pedagogia era o que faltava para que o campus tivesse o fôlego tão solicitado para trabalhar com tranquilidade e poder mostrar os resultados em médio prazo e não na correria com que vinha sendo cobrado.

A arena estava pronta e nossos representantes mais que preparados para defender os interesses do campus e logo foram postos a prova com falas que tentavam atrelar erros cometidos no passado com outros municípios com a proposta de Alto Araguaia, mas o professor Milton Chicalé tratou de refrescar a memória de todos ressaltando que Alto Araguaia nunca recebeu turma especial de Direito e também não recebera curso regular na última expansão da Unemat, o que chamou a reflexão de todos.

A professora Gislaine apresentou um resumo de tudo que a Prefeitura Municipal de Alto Araguaia fez pelo campus em quase 25 anos de parceria que continua firme no fortalecimento da Unemat e que por isso aprovou aporte de 50% dos valores das turmas especiais já na assinatura do convênio.

A votação foi equilibrada e como a aprovação dependia de quórum qualificado, ou seja, dois terços dos votos de um total de 45 membros do CONSUNI, certo clima de tensão tomou conta do plenário. Contados os votos o placar anunciou 30 favoráveis e 07 contrários, exatamente a quantidade necessária para ter dois terços do total. A vitória estava assegurada.

O Campus Universitário de Alto Araguaia terá a oferta de 150 novas vagas no próximo semestre sendo duas turmas de Bacharelado em Direito, uma diurna e outra noturna e também uma turma de Licenciatura em Pedagogia com funcionamento noturno.

Aos nossos representantes no Consuni fica o agradecimento e a certeza de que a determinação foi decisiva para mudar os rumos que estavam traçados para o campus. A imagem da professora Gislaine já do lado de fora do auditório com a expressão cansada, mas o sorriso feliz sintetiza o que foi a batalha e ela ainda ligou para o prefeito Maia Neto que comemorou do outro lado da linha. Esses são capítulos a serem escritos e assuntos para próximas pautas.

foto-2.jpg

Miguel Rodrigues Netto – Assicom/Alto Araguaia (Direto de Cáceres/MT)

Ago
27

CAMPUS MAIS FORTE

Postado por Miguel Rodrigues

Campus de Alto Araguaia sai fortalecido do CONSUNI

 foto-representantes.JPG

A segunda sessão ordinária do Conselho Universitário – Consuni da Unemat se apresentava desfavorável ao Campus de Alto Araguaia. A apreensão era grande com a apresentação do relatório da Comissão de Transição de Cursos que apontava inclusive para a possibilidade de transferir os cursos regulares para outros campi.

No entanto a atuação destacada dos representantes do campus no Consuni foi decisiva para mudar a situação e ao invés de fechar as portas, Alto Araguaia sai muito mais forte de que entrou no auditório do bloco B na Cidade Universitária em Cáceres.

Nesta quarta foi deliberado sobre o ponto de pauta acerca do relatório da comissão de transição de cursos, comissão esta que foi presidida pelo professor Marion Machado Cunha do campus de Sinop e apontava para a transferência de cursos do campus de AIA para outros locais conforme critérios que ainda precisavam ser definidos.

O clima na plenária estava tenso, a cada fala o destino do campus parecia que ia ser pela transferência, mas logo as coisas começaram a mudar. Primeiramente falou o professor Milton Chicalé que alertou a todos os conselheiros para o fato de em nenhum momento a comissão instituída ter sido criada para pensar em transferência de cursos para outros campi; o professor salientou ainda que a questão de baixa demanda também está sendo tratada pelo Conepe que instituiu uma comissão para pensar soluções e que o assunto afeta diversos campi e não apenas Alto Araguaia.

A professora Gislaine Carvalho apresentou dados dos últimos três vestibulares em aproximadamente 70% dos inscritos no vestibular da Unemat foram para os cursos de medicina, direito, engenharia civil e administração. “Os outros 46 cursos tiveram pouco mais de 3 mil inscritos, o que mostra que há uma concentração de demanda nestes cursos e Alto Araguaia é o único campus que não possui um dos cursos mais procurados”, enfatizou. Ela também apresentou que quase todos os campi têm ao menos um curso de baixa demanda como ocorre inclusive com Matemática, em Sinop.

Após as falas de Milton Chicalé e Gislaine o rumo das ponderações foi mudando e os que sucederam foram reconhecendo que a Unemat precisa repensar sua oferta de forma geral e buscar alternativas viáveis dentro de seu orçamento.

No fim foi aprovada uma Comissão para repensar a forma de ingresso nos cursos de graduação de Alto Araguaia. O objetivo é levantar propostas que visem fortalecer o campus e sua atuação regional trabalhando em parceria para a Proeg e apresentando resultados em no máximo 180 dias. A comissão ficou composta pela professora Gislaine Aparecida de Carvalho que presidirá a comissão, além dos professores Milton Chicalé Correia e Tales Nereu Bogoni do campus de Colíder, a técnica Ana Aparecida Morais de Oliveira e o acadêmico Thiarles do campus de Alta Floresta.

A professora Gislaine reforça que a comissão irá trabalhar em parceria com uma comissão local que será instituída no campus e que juntamente com a Proeg apresentará resultados para fortalecer Alto Araguaia, aprimorando a oferta dos cursos e refletindo sobre todas as ideias que foram levantadas no Consuni. Perguntada sobre a sensação de participar de uma discussão tão tensa, a professora sorriu e disse “é uma vitória e um alívio, mas nossos argumentos ajudaram a convencer de que temos condições de continuar trabalhando para melhorar o campus”

Miguel Rodrigues Netto – Assicom/Alto Araguaia (Direto de Cáceres/MT)

Ago
27

Publicação do Resultado

Postado por TI

Campus de Alto Araguaia lança resultado para preenchimento de vagas nos três cursos

campus1.jpg

O Campus Universitário de Alto Araguaia primando pelo compromisso social de garantir o acesso ao ensino superior à população araguaiense e de toda região torna público o resultado do Edital 001/2015-2 Específico para o preenchimento de vagas ociosas por meio de análise do histórico escolar do ensino médio para seus três cursos de graduação.

resultado_final.pdf

Ago
20

NOVAS OPORTUNIDADES

Postado por Miguel Rodrigues

Campus de Alto Araguaia lança edital para preenchimento de 96 vagas em três cursos

thumb_noticia.jpg

O Campus Universitário de Alto Araguaia primando pelo compromisso social de garantir o acesso ao ensino superior à população araguaiense e de toda região torna público o Edital 001/2015-2 Específico para o preenchimento de vagas ociosas por meio de análise do histórico escolar do ensino médio para seus três cursos de graduação.

As vagas são para os cursos de graduação ofertados regularmente no campus. Neste edital estão abertas 33 vagas para Bacharelado em Ciência da Computação, 32 vagas para Bacharelado em Comunicação Social (Jornalismo) e 31 vagas para Licenciatura em Letras somando ao todo 96 oportunidades de ingresso em um curso superior público e gratuito.

Vale ressaltar que o corpo docente dos três cursos em formado em sua maioria por docentes efetivos e titulados com mestrados e doutorados nas principais universidades brasileiras o que é mais um atrativo para os futuros acadêmicos.

Para participar da referida Chamada Presencial, o candidato ou seu representante legal, deverá comparecer ao campus de Alto Araguaia, situado na Rua Santa Rita, nº 148, Centro, Alto Araguaia/MT no período de 25/08/2015 a 26/08/2015 no horário das 8h às 12h; das 13h às 18h; das 19h às 22h, munido dos seguintes documentos:

a) Documento Oficial de Identificação

b) Cadastro de Pessoa Física – CPF

c) Cópia do extrato da pontuação do ENEM – para os candidatos que optarem em utilizar a nota do ENEM.

d) Histórico Escolar do Ensino Médio (original e fotocópia) para os candidatos que optarem por utilizar a análise por histórico

e) Certificado do Ensino Médio ou equivalente (original e fotocópia).

Para outras informações compareça a Supervisão de Apoio Acadêmico do Campus de Alto Araguaia.

Confira aqui a íntegra do Edital.

Miguel Rodrigues Netto – Assicom/Alto Araguaia 

Ago
10

PLANEJAMENTO

Postado por Miguel Rodrigues

Semana Pedagógica tem discussão sobre Planejamento Estratégico Participativo

 

 pep-2015.jpg

O campus de Alto Araguaia deu início em seu semestre letivo 2015/2 de uma forma diferente. Desta vez as atividades reuniram professores e técnicos-administrativos na primeira semana de agosto para debater os documentos que fazem parte do Planejamento Estratégico Participativo – PEP, que servirá de parâmetro para as ações da Unemat nos próximos 10 anos.

Na terça, quinta e sexta-feira ocorreram reuniões no período vespertino no auditório de Letras, oportunidade em que todos puderam participar das discussões sobre a missão, visão e valores institucionais, debater sobre a qualidade do ensino, os desafios para avançar nos investimentos em pesquisa, extensão e melhoria das condições de gestão universitária.

Na quarta uma das discussões em que houve maior participação foi o debate sobre as ações de assistência estudantil, com foco para a Casa do Estudante existente em Alto Araguaia. O professor Caio César e o técnico João Cleito apresentaram o regimento da casa e após foi aberto para discussão.

Muitas foram as ideias apresentadas para aprimorar a política de assistência estudantil, como forma de dar suporte aos acadêmicos oriundos de outros municípios e estados que todo semestre chegam a Alto Araguaia; e para dar prosseguimento aos estudos foi constituída uma comissão com presença de professores, técnicos e acadêmicos.

O Planejamento Estratégico Participativo – PEP é uma ação desencadeada na atual gestão da Unemat. Na atual fase estão sendo realizados os Seminários Regionais que já ocorreram em Nova Xavantina, Alta Floresta, Sinop e Cáceres. A proposta inovadora prevê o levantamento de informação essenciais para que a Unemat consiga realizar um planejamento de longo prazo, em sintonia com sua vocação, mas também atendendo a demandas da sociedade expressas no Plano Nacional de Educação e no Plano Estadual de Educação.

Miguel Rodrigues Netto – Assicom/Alto Araguaia

 

Ago
10

NOVOS PROFISSIONAIS

Postado por Miguel Rodrigues

 

Unemat confere grau a bacharéis e licenciados em Alto Araguaia

 

foto-8.jpg

A Universidade do Estado de Mato Grosso conferiu grau a 29 novos bacharéis e licenciados no Campus universitário de Alto Araguaia em cerimônia realizada no dia 05/08 no Clube da Associação Atlética Banco do Brasil – AABB. Cerca de 700 pessoas entre familiares, amigos e convidados compareceram ao local.

Receberam o grau de Licenciados em Letras 12 acadêmicos; Licenciados em Computação 9 acadêmicos e Licenciado em Física pela Unemat/UAB 1 acadêmico. Receberam o grau de Bacharéis em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo 7 acadêmicos.

Os discursos foram emocionantes e relembraram boa parte da trajetória acadêmica dos novos professores e jornalistas que a Unemat devolve ao mercado regional. A oradora de jornalismo Ana Paula Macedo lembrou os desafios de se estudar um curso que tem interface com diversas áreas do conhecimento. Já o orador de Computação Rafael Falceti finalizou seu discurso com uma coletânea de poemas que refletiam todas as dificuldades enfrentadas pelos acadêmicos no curso.

Entre as autoridades o Pró-Reitor de Assuntos Estudantis Anderson Marques do Amaral parabenizou a todos por terem chegado ao fim desta etapa formativa, mas enfatizou que a Unemat continua de portas abertas para receber novamente os acadêmicos nos programas de pós-graduação e formação continuada que a instituição oferece.

O Secretário Municipal de Administração Romildo Oliveira lembrou que a prefeitura é parceira da Unemat em Alto Araguaia de longa data e que continuará a apoiar a instituição em seus projetos. Já a professora Gislaine Aparecida de Carvalho saudou os formandos e seus familiares ressaltando que a vitória alcançada agora é fruto de muito esforço e dedicação.

Compôs a mesa de autoridades o Pró-Reitor de Assuntos Estudantis Prof. Anderson Marques do Amaral, representando a Magnífica Reitora Ana Maria Di Renzo; Secretário Municipal de Administração Sr. Romildo José de Oliveira, representando o Prefeito Municipal de Alto Araguaia; Diretora Político-Pedagógica e Financeira Prof. Gislaine Aparecida de Carvalho; Diretor Administrativo Sr. Renato Davi Moraes; Diretora da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas Profa. Marilena Inácio de Souza; Coordenadores dos cursos de Letras, Computação e Comunicação Social, respectivamente profs. Danilo Persch, Juvenal Silva Neto e Antônia Alves Pereira e o Coordenador do Polo da UAB/Alto Araguaia prof. Éder Vicente de Sousa Silva.

foto-6.jpg

Miguel Rodrigues Netto – Assicom/Alto Araguaia

Jun
25

Pesquisadores e Acadêmicos

Postado por Miguel Rodrigues

Unemat está com editais abertos para oferta de 98 bolsas de iniciação científica

 

22062015062858.jpg

 

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), divulgou três editais para o preenchimento de 98 bolsas de iniciação científica (IC) para estudantes da Instituição. O período para que os professores orientadores realizem as inscrições vai de 23 de junho a 15 de julho.

 

As bolsas estão divididas em três editais: o Edital Pibic/CNPq-AF Nº 002/2015 oferece 10 bolsas destinadas a alunos integrantes de ações afirmativas; o Edital Pibic/CNPq Nº 003/2015 oferece 38 bolsas de ampla concorrência; e o Edital Probic/Unemat Nº 004/2015 oferece 50 bolsas, também de ampla concorrência, e mais cadastro de reserva.

 

O processo de inscrição para a seleção e avaliação das propostas será totalmente automatizado, e deverá ser efetuado pelos professores orientadores através do link http://gb.unemat.br/edital/ic2015/.

 

Os professores interessados em ter bolsas de iniciação científica devem ter titulação mínima de mestre ou doutor, conforme exigência dos editais, estar cadastrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pertencer ao quadro de pesquisadores docentes com projetos de pesquisa devidamente institucionalizados junto à Supervisão de Acompanhamento de Projetos de Pesquisa, além de outros quesitos exigidos no edital.

 

Mais informações podem ser obtidas na Diretoria de Gestão de Iniciação Científica da PRPPG na Sede Administrativa da Unemat, em Cáceres, através do e-mail probic@unemat.br ou pelos telefones (65) 3221-0044 e (65) 3221-0040.

 

Os programas de iniciação científica são voltados para os alunos da graduação e configura-se em ações de incentivo a formação de novos pesquisadores. Para conhecer os editais acesse a página da PRPGG. O período de vigência das bolsas será de um ano, com uma carga horária de 20 horas semanais e duração de um ano. O resultado da seleção deve ser divulgado a partir do dia 18 de julho de 2015.

 

Miguel Rodrigues Netto – Assicom/AIA (com informações de Nataniel Zanferrari Assecom/Cáceres)

Jun
24

FORMAÇÃO ACADÊMICA

Postado por Miguel Rodrigues

 

Diretrizes Curriculares do Curso de Jornalismo é tema de mesa redonda na abertura do Colóquio

dsc_0131.JPG

O auditório do Centro de Pesquisas de Alto Araguaia – CEPAIA teve a presença de um grande publico na noite desta terça-feira (23), para a abertura oficial do IX Colóquio de Jornalismo. A noite contou com apresentação cultural, feita pela acadêmica de Comunicação Social/Jornalismo Aline Terres, mesa titulada “Novas diretrizes curriculares para o curso de jornalismo: perspectivas para o ensino e a pesquisa”, apresentada pelo professor Dr. Edson Luiz Spenthof (UFMT); professor Me. Ailton Segura (UFMT) e Me. Danielle Teixeira Tavares (Assecom Unemat/Cáceres).                                                                                           

A mesa de solene foi composta pela Diretora Político-Pedagógica e Financeira do campus professora Gislaine Aparecida de Carvalho, pela Diretora da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas professora Marilena Inácio de Souza, a Coordenadora do Curso de Comunicação Social/Jornalismo professora Antonia Alves Pereira, a Coordenadora do IX de Jornalismo professora Rosana Alves e a Secretaria de Educação Municipal Abilene Queiroz. Todos saudaram os participantes e ressaltaram a importância destes eventos na socialização acadêmica.

A mesa de debates trouxe reflexões a cerca das diretrizes curriculares do curso de jornalismo, em primeira instância a palavra foi dada a Me. Danielle Teixeira que fez um breve histórico sobre de como era as antigas diretrizes, currículo mínimo e Maximo, fala sobre as novas diretrizes, e ressalta que a comissão que vou feita não foi imposta mais convidada, o que muda um pouco o cenário, além de que esse grupo fez diversas reuniões para socializar os pensamentos de profissionais e estudantes da área para depois chegar a um consenso sobre as novas diretrizes, que nasce para participar e cooperar com o novo jornalismo.

O professor Dr. Edson Luiz Spenthof, pontuou que as novas diretrizes não atende o curso de jornalismo, há um exemplo são as disciplinas de estágio e TCC. Falou também sobre um histórico anterior ao da Danielle, dando ênfase ao currículo mínimo e levantou questões políticas, e fala sobre o desafio em trabalhar e superar teoria versus prática. Coloca que é importante a alta avaliação as novas diretrizes e busca discutir e pensar valorização da pesquisa no âmbito acadêmico. “Não apenas pensar o ensino, mais que ele se alimente de pesquisa, das práticas de mercado e cotidiano”, ressalta. 

dsc_0039.JPG

Por fim o professor Me. Ailton Segura ressaltou a importância da inter-relação de professor e aluno e de como vamos estruturar o curso, fazendo pensar que tipo de formação alguns cursos estão promovendo hoje. Ele salientou que não estamos preparados para o fluxo de informações que encontramos na internet, não acompanhamos o imediatismo, principalmente com as novas tecnologias (redes sociais). O professor abordou que o jornalista deve ter o papel de vigilante social. Ele concretiza retomando o assunto sobre interação de pessoas. “Não fazemos sozinhos, temos que discutir não apenas na nossa unidade de ensino, mais mostrar a outros como construir o caminho”, fala o professor. Ele finaliza dizendo que devemos fortalecer e estruturar o papel do jornalista e formar jornalistas participativos.

Christiely Ive – Estagiária Assicom/AIA

Jun
24

NOVAS OFICINAS

Postado por Miguel Rodrigues

 

Oficinas sobre Assessoria de Imprensa, Jornalismo na Rua e Animais e Mídia movimentam o 2º dia do Colóquio de Jornalismo

 

 dsc_0028.JPG

Nesta terça-feira (23) pela manhã ocorreu no IX Colóquio de Jornalismo a oficina de Assessoria de Imprensa em Instituição Públicas, ministrada pela Me. Danielle Teixeira Tavares e Esp. Lygia Cristina Menezes de Lima assessoras de comunicação da Unemat (Cáceres). Em primeiro momento foi pedido aos alunos que se apresentassem, para assim realizar discussões a cerca do assunto.

A oficina abordou um breve histórico sobre assessoria de imprensa e comunicação, explanando assim temas específicos da área. A assessora abordou que hoje com as redes sócias é difícil controlar as informações que saem de determinada empresas, por isso é importante que o assessor de imprensa esteja sempre à posta para atender as necessidades do cliente, e responder os veículos de comunicação com a mesma agilidade em que saem noticias sobre ela.

O processo de assessoria pretende fortalecer a imagem institucional, processo esse que envolve o gerenciamento que integra todas as atividades de uma organização e seu relacionamento interno ou externo. “O assessor busca fortalecer o relacionamento do assessorado com os veículos de comunicação”, disse a Me. Danielle.

Outro ponto bastante elencado foi a cerca dos serviços que um assessor presta, e os produtos que eles podem fornecer. “O assessor deve ter em mente quem é seu público alvo, e entender que não é mais o público, mais sim os públicos”, enfatiza a jornalista. Ela diz que ao conhecer o público sabemos então que tipo de estratégias utilizarem para cada um. “Cada público tem necessidades diferentes de comunicação”, relata à assessora.

A oficina contou com a presença de mais de 50% dos ouvintes, composta por alunos do primeiro semestre, que foi o primeiro acesso deles com assessoria, eles mostraram muito empolgados com esse campo jornalístico, seja pela abertura na área como também pelo reconhecimento salarial.

Jornalismo de Rua e Animais e Mídia

 

 foto-oficina-animais.jpg

No período da tarde foram realizadas sendo uma voltada ao jornalismo de rua, ministrada pelo professor Me. Gibran Lachowski e a segunda abordava o estudos de animais e mídia, ofertada pela professora Esp. Eveline Baptistella. Nas oficinas os alunos puderam exercer suas aptidões e conhecimento nas áreas. A professora Esp. Eveline relata em sua oficina que desde a antiguidade a humanidade se interessa por animais.

Na oficina relatou que a extinção dos animais é hoje provocada por “nos”, seja em poluição, queimadas, caça ou desmatamento, e ai que entra o jornalista, que deve combater essas práticas. Nesse contexto o jornalista tem também a função pedagógica de educar os leitores. “Temos que dialogar com o público”, relata a jornalista. Pois ao retratar esse assunto temos que enfatizar de algum modo a consciência para gerar emoção e comoção das pessoas diante o fato, para as mesmas sentirem empatia com o animal em questão, para que elas possam se por no lugar deles.

Ela relata que há exemplos de espécie em todo o mundo que são praticamente mortos-vivos, isso porque a extinção em massa de alguns animais é muito decorrente. Quando falamos de animais e mídia vemos muitas perguntas sem respostas em veículos de comunicação, já que eles não vêem todos os lados da situação, ou seja, o lado animal. “Será que é so isso?” indaga.

Durante a oficina foi dada aos alunos a oportunidade de pensarem pautas que tratasse esse tema, dentro de diversos cadernos, após isto as considerações foram compartilhadas com o grupo, percebemos então uma distinta opinião entre os acadêmicos. Porém muito mais do que a abordagem do animal na mídia, foi trabalhando o jornalismo ambiental e o jornalismo científico. “Hoje as pessoas não se interessam por notícias ambientais”, afirma.

O jornalismo científico traz considerações e explicações a cerca desse assunto, o em relação aos animais pode distorcer situações expostas pela mídia que são mal colocadas, por exemplo, o caso da doença do gato ou gripe suíno, que depende do jornalismo científico para dar novas nomenclaturas que tirassem o animal como vilão. 

Christiely Ive – Estagiária Assicom/AIA 

Jun
23

COMEÇOU

Postado por Miguel Rodrigues

 

Acadêmicos participam de oficina sobre Educomunicação e Jornalismo

 

foto-oficina-educom.jpg

O IX Colóquio de Jornalismo teve inicio na noite desta segunda feira (22), com a oficina de Diálogo entre Educomunicação e Jornalismo, ministrada pela professora Me. Antonia Alves. A oficina abordou um tema que despertou o interesse pelos acadêmicos. Já que a proposta da oficina é mostrar a horizontalidade do jornalismo. Ela aborda o conceito de educomunicação, que se consiste em deixar o outro falar, disposição a tornar pessoas produtoras de cultura e formar cidadãos mais críticos.

Durante a oficina os alunos puderam participar, elencando opiniões sobre diversas questões e posteriormente expondo a todo o grupo em um cartaz, mostrando vários pontos de vista compartilhados. Logo após a professora ressaltou questões referentes à educomunicação, como a produção de notícia, feitas por alunos de ensino fundamental ou médio, sendo eles “assessorados” por jornalistas formados. Todo esse trabalho em prol de subsidiar os cidadãos a levantarem questões de concepção social e educativa.

Identificar práticas jornalísticas a presença de paradigmas da educomunicação em sua concepção de gerar mobilização social. “As pessoas se aprimorarem da técnica para que elas comecem a produzir algo midiático, de como a responsabilidade dele pode transformar sua realidade”, diz a professora. Ela ressalta que quando uma cobertura de evento é feita por esses alunos, sempre é especificado que não é uma cobertura jornalística e sim uma cobertura educomunicativa.

Os alunos que participaram da oficina levantaram diversas questões a cerca do assunto, como por exemplo, a não obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão, e a dúvida que eles tiveram é de que a sociedade por muitas vezes acaba confundindo a educomunicação e acaba de algum modo reforçando a idéia da não obrigatoriedade.

Christiely Ive – Estagiária Assicom

?>