Campus Universitário de Alto Araguaia

Universidade do Estado de Mato Grosso

Nov
28

COMPUTAÇÃO

Postado por Miguel Rodrigues

Acadêmicos apresentam trabalhos na I SECOMP

Evento também contou com palestra. Hoje ocorre a premiação dos melhores trabalhos

Na noite desta quinta-feira (27/11) teve continuidade a apresentação de trabalhos acadêmicos na I Semana de Computação – SECOMP. Um público de professores e acadêmicos do curso compareceu ao Auditório do CEPAIA para acompanhar três comunicações orais e uma palestra que abrilhantaram mais um dia de evento.

O primeiro trabalho apresentado foi do acadêmico Júlio César intitulado “Desenvolvimento do portal da I SECOMP”. O acadêmico explicou todos os procedimentos necessários para o efetivo funcionamento do site da semana. “Foi muito trabalho, mas com a ajuda dos professores do curso foi possível finalizar o site”, afirmou sob aplausos dos presentes.

O acadêmico Douglas Araújo apresentou a comunicação oral sobre “O software skilab como ferramenta de apoio a disciplina Fundamentos de Matemática Elementar”, enquanto as acadêmicas Tamires e Vanessa apresentaram a comunicação “Webquest no currículo do PIBID: Experiências em transposição e Instrumentação Didática”. O professor Danilo Persch que estava perguntou se o referido projeto já estava em fase de avaliação, sendo que as alunas responderam que ao final realizarão a avaliação o que possibilitará saber qual foi o valor agregado a partir da experiência de utilização do webquest. O professor Milton Chicalé que foi professor das referidas acadêmicas na disciplina de Didática parabenizou-as e destacou a importância desses projetos para que haja efetiva interação entre a teoria vista em sala e a prática nas escolas.

Em seguida teve início a palestra “Análise de Imagens Médicas” com o professor Roger Resmini da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus de Rondonópolis, o qual apresentou o resultado de pesquisas que estão sendo desenvolvidas naquele campus em parceria com as universidades: UFF/RJ, UFMA e UFPE. O docente apresentou projetos de Realidade Virtual com Blender, dos quais podemos destacar a modelagem do coração – onde é possível ver aspectos internos e externos do órgão e cujo objetivo é alertar o público da melhor idade sobre os cuidados com a saúde.

Outro projeto apresentado foi a modelagem do campus da UFMT/Rondonópolis que está em desenvolvimento e depois de pronto permitirá realizar um tour virtual pelas dependências do campus facilitando a localização de setores e departamentos, sobretudo para visitantes. No entanto, o grande destaque da noite foi o projeto de Exame térmico da mama, onde é possível detectar inflamações e alterações na mama da paciente por meio da diferença térmica obtida com imagem de uma câmera, o que permite um diagnóstico de câncer de mama com muita precisão e baixo custo se comparado a outros procedimentos como a ultrassonografia ou a ressonância magnética.

Melhores trabalhos serão premiados

Nesta sexta-feira ocorre a premiação dos melhores trabalhos acadêmicos que foram apresentados ao longo da semana.

A programação começa a partir das 19 horas no Auditório do CEPAIA e todos estão convidados. Participem!

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/UNEMAT

Manual MOODLE -Campus Alto Araguaia.

moodleimg.png

Supervisionadas pelo Prof. Me. Lawrenberg Silva as acadêmicas do Curso de Jornalismo Deisiane Macedo, Cristiane Resende e Simone Kaiper. Realizaram um excelente trabalho para auxiliar os acadêmicos que se encontram em dificuldade referente ao uso da Plataforma MOODLE do Campus Universitário de Alto Araguaia. O manual de uso facilita o entendimento e uso da ferramenta e pode ser acessada através do link abaixo, no formato de PDF.

Acesse o Manual aqui  →MANUAL DO MOODLE - CAMPUS ALTO ARAGUAIA.

Nov
27

SE LIGA!

Postado por Miguel Rodrigues

Em noite de palestra com professor da USP e apresentação de projetos de extensão Revista Se Liga é lançada em Alto Araguaia

 

A noite desta quarta-feira (26/11) reservou um excelente evento, não só para a comunidade acadêmica da UNEMAT, mas para toda a população de Alto Araguaia. O lançamento da Revista Se Liga, projeto de extensão universitária, ocorreu em grande estilo.

No início a Diretora Político-Pedagógica e Financeira do Campus de Alto Araguaia, professora Cássia Regina Tomanin saudou o público que compareceu em bom número ao anfiteatro do campus e disse ao professor Ismar que seria uma ótima oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a Educomunicação, oportunidade em que desejou ao professor boas vindas a Alto Araguaia.

A professora Antônia Alves coordenadora do projeto de extensão da Revista Se Liga também saudou o professor Ismar, evidenciando que o docente não mede esforços para conhecer in loco diversos projetos de Educomunicação Brasil afora e que prontamente atendeu ao pedido de vir a Alto Araguaia para conhecer os projetos educomunicativos do campus. Antônia ressaltou que o projeto teve a participação de todos, não apenas dos gestores, mas de professores, acadêmicos, funcionários, estudantes das escolas parceiras, enfim, “todos ajudaram em algum momento do projeto”, ressaltou.

Projetos de Extensão são apresentados

Outros projetos de extensão do campus foram apresentados a comunidade. O Centro de Acesso a Tecnologia e Inclusão Social – CATIS, foi devidamente detalhado pela professora Rosana Alves explicando que o acesso a tecnologia se dá de forma coletiva e participativa e todos são corresponsáveis pelo êxito da proposta. Ressaltou ainda que atividades como a oficina de blogs, ajudou a incluir muitas pessoas neste cenário das tecnologias da informação e comunicação onde muitas pessoas apresentam dificuldades, inclusive de manuseio técnico das ferramentas.  

O acadêmico Felipe Garrido apresentou o projeto de extensão Focagem, projeto que é coordenado pela professora Marli Barbosa e que consiste em uma agência de jornalismo onde os acadêmicos do curso realizam atividades práticas por meio do blog, postando notícias de interesse da comunidade acadêmica e também em parceria com estudantes das escolas públicas de Alto Araguaia. Felipe destacou que os alunos da rede pública não são apenas meros receptores de informação “eles participam ativamente, propõe pautas e a partir deste processo estão se habilitando também a produzir conteúdo que seja de interesse de toda cidade”, frisou.

O projeto de extensão Revista Se Liga foi apresentado pelo professor Gibran Lachowski, o docente relatou que conheceu o conceito de Educomunicação atuando nos movimentos sociais, onde existia um senso de troca de saberes horizontal, numa relação dialógica e democrática, onde não havia um maior e um menor e que atualmente atuando na equipe da Revista Se Liga que chegou a sua III edição, pode perceber o mesmo conceito educomunicativo com a participação efetiva dos jovens desde as primeiras oficinas, no processo de definição de pautas, apuração das informações e finalização do produto.

Palestrante expõe conceitos e aponta desafios para Educomunicação

Todos já estavam na expectativa da palestra Educomunicação a serviço do Jornalismo Participativo e o professor da Universidade de São Paulo (USP) Ismar de Oliveira Soares brindou a todos com uma abordagem acessível e esclarecedora. Ismar que é Presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom) começou apresentando os conceitos e interações entre o jornalismo e a Educomunicação. Explicou que enquanto o jornalismo se baseia na produção de informação por meio de suas técnicas produtivas e que atende ao legado da Indústria Cultural por meio de uma lógica funcionalista, a Educomunicação entende o processo como preponderante em relação ao produto e está ancorada num Ecossistema comunicativo democrático, plural de relações horizontais e que emerge de uma Cultura Midiática.

O professor apresentou diversos exemplos de ações educomunicativas tanto em nível de Brasil, como em âmbito internacional, explicou que de 1999 até o momento mais de 120 dissertações e teses foram produzidas com a temática da Educomunicação e que isto aponta para um crescimento no contingente de pesquisadores dispostos a lançar olhar sobre o tema. Ismar destacou durante toda sua exposição o papel das crianças e jovens no processo educomunicativo, pois são os atores da sociedade da informação, dominam as novas tecnologias e querem construir um novo modelo comunicacional em que não sejam meros expectadores e sim produtores de conteúdo midiático.

Ismar apontou como característica da Educomunicação a possibilidade de sair da esfera de comunicação alternativa e se tornar uma nova hegemonia. Ao responder uma pergunta da plateia aproveitou para esclarecer que a Comunicação Comunitária tem sim relação com a Educomunicação, mas que existem algumas diferenças principalmente no que diz respeito a proposta de ação. O professor finalizou apontando como desafio para a educação brasileira entender que a Educomunicação não é apenas uma ferramenta que se subordina ao processo didático. “Quando os educadores entenderem que a Educomunicação é muito mais que uma ferramenta, que ela é a consolidação deste novo momento, desta sociedade participativa e democráticas, os avançou na educação serão muito mais relevantes”, explicou.

Revista é lançada e colaboradores são homenageados

Após a palestra todos os participantes acompanharam o lançamento da revista. Professores, técnicos, acadêmicos, profissionais, estudantes das escolas públicas, enfim, um projeto feito com muitas mãos e mentes e que soube valorizar cada contribuição. Para finalizar só mesmo com um coffe-break caprichado que já estava aguardando os participantes do lado externo do anfiteatro.

Que venha a IV edição da revista e com ela mais participação e protagonismo da comunidade.

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

Nov
26

LANÇAMENTO

Postado por Miguel Rodrigues

Edição da Revista Se Liga será lançada com a presença de professor da Universidade de São Paulo em Alto Araguaia

A terceira edição da Revista Se Liga será lançada nesta quarta-feira, dia 26 de novembro de 2014 com a presença do professor da Universidade de São Paulo (USP), Dr. Ismar de Oliveira Soares, em Alto Araguaia-MT. Na ocasião, será proferida a palestra “Educomunicação a serviço de um Jornalismo Participativo”, pois o evento é uma extensão do I Colóquio Mato-grossense de Educomunicação que acontece nos dias 24 e 25, em Cuiabá, simultaneamente ao SemiEdu 2014.

O professor Ismar é também Presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom), é o responsável pela identificação do conceito de Educomunicação e vem desenvolvendo pesquisas na interface Comunicação/Educação desde 1997.

Além de proferir a palestra, o educomunicador conhecerá os projetos de extensão que são educomunicativos no Campus de Alto Araguaia. O Catis, coordenado pela professora Rosana Alves de Oliveira, capacita educadores das escolas públicas para o uso das tecnologias na escola e nesse semestre trabalhou com o uso de blogs educativos. Enquanto que a Focagen, coordenado pela professora Marli Barbosa da Silva, vem ampliando o espaço da agência júnior de jornalismo como uma rede de blogueiros formados por alunos de Ensino Médio da cidade.

A equipe gestora da revista trabalhou com alunos de 8º e 9º anos de quatro escolas públicas da cidade por meio de oficinas para que os participantes se apropriassem das técnicas jornalísticas para produção da mesma. Foram seis meses de estudo, pesquisa, produção de textos, desenhos e charges até sua culminância.

“Fazendo jus a sua perspectiva educomunicativa, além da metodologia participativa, do fomento do exercício da cidadania e da apropriação das técnicas jornalísticas, os alunos foram criando um ambiente agradável de convivência que chamamos por ecossistema comunicativo na Educomunicação”, comentou a coordenadora do projeto que também é Diretora de Comunicação da ABPEducom, professora Antonia Alves Pereira.

A criatividade dos alunos ultrapassa a programação delineada no início da caminhada. Depois de pronta a revista que contou com a impressão financiada pelo Campus, os alunos montaram mural escola na própria escola para convidar a galera e criaram um aplicativo para celular para divulgar a revista. Além de terem recebido o apoio dos professores da instituição para a diagramação da revista, participaram da criação do mascote “Seliguinha”.

Na programação de Cuiabá se encontra a criação do Núcleo Regional da ABPEducom em Mato Grosso.

Agenda:
26/11 – 19h - Palestra: Educomunicação a serviço do Jornalismo Participativo 
Ismar de Oliveira Soares - ABPEducom, NCE-USP, ECA-USP
20h - Lançamento da Revista Se Lig@

Criação do Núcleo Regional da ABPEducom em Mato Grosso..

Mais Informações:
http://coloquiomteducom.blogspot.com.br
https://www.facebook.com/profile.php?id=810070429004015&ref=ts&fref=ts

Com informações da Profa. Me. Antônia Alves Pereira

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

Nov
26

DESTAQUE

Postado por Miguel Rodrigues

Pibid Interdisciplinar tem trabalho premiado no IV Congresso Internacional da Associação Brasileira de Professores Universitários de Inglês

 

http://www.novoportal.unemat.br/fotos/19112014065241.jpg

O Projeto Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) Interdisciplinar do Campus de Alto Araguaia da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) marcou presença no IV Congresso Internacional da Associação Brasileira de Professores Universitários de Inglês (Abrapui), realizado na cidade de Maceió (AL), entre 11 e 14 de novembro deste ano. Foram apresentados dois trabalhos: uma comunicação oral e um pôster.

O trabalho ‘O gênero autobiografia nas aulas de inglês de uma escola pública’ foi apresentado pela ex-coordenadora do Pibid de Letras de Alto Araguaia e professora colaboradora do Pibid Interdisciplinar do campus, Ana Carolina de Laurentiis Brandão, e pela ex-pibidiana e agora mestranda em Linguística pela Unemat, Elaine Aguiar Florêncio. O pôster ‘Experiências em um subprojeto de Pibid-Letras: Ensinando inglês com o gênero tirinha’ foi apresentado pelos acadêmicos Isabel Golemba dos Santos e Vinicius Sousa Silva, ambos ex-bolsistas do Pibid de Letras (2011-13) e bolsistas do Pibid Interdisciplinar. Os trabalhos apresentados refletem um trabalho com a língua inglesa nas escolas parceiras do Pibid que se iniciou em 2011 com o subprojeto de Letras-Inglês e que continua com o Pibid Interdisciplinar.

O evento previa premiação para os melhores pôsteres, e o pôster do Pibid Interdisciplinar foi um dos contemplados. Isabel e Vinicius receberam um livro sobre ensino de inglês e um CD com jogos didáticos como prêmios. Para a professora Ana Carolina, orientadora do pôster, foi uma experiência importante, “primeiramente, porque representa o reconhecimento do trabalho realizado pelo Pibid da Unemat e porque os bolsistas tiveram a oportunidade de não só participar de um evento internacional, mas de representar a instituição”. A professora também pontuou que havia participado do Congresso da Abrapui anterior em 2012, no qual apresentou uma comunicação sobre o início do Pibid no campus, e que “foi muito gratificante participar dessa última edição do evento para contar sobre o desfecho das experiências do Pibid, tendo os bolsistas ao meu lado”.

O Pibid Interdisciplinar de Alto Araguaia é coordenado pela professora Shirlene Rohr de Souza, responsável pela língua portuguesa no subprojeto. A professora Ana Carolina atua como colaboradora e é responsável pela língua inglesa. O subprojeto conta com 22 bolsistas, duas supervisoras de inglês e duas supervisoras de português. Seu objetivo maior é desenvolver um trabalho interdisciplinar, a fim de proporcionar aos licenciandos em Letras Português/Inglês e em Computação, bem como a professores de inglês e português da rede pública de ensino, a oportunidade de elaborar e aplicar material didático de inglês e português de forma colaborativa, utilizando-se de tecnologias digitais.

Com informações publicadas a partir da Assessoria de Comunicação da Unemat/Reitoria.

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

 

Nov
17

PIBID

Postado por Miguel Rodrigues

 

PIBID proporciona experiência docente a acadêmicos de Letras e Computação

 

O PIBID Interdisciplinar Letras e Computação de Alto Araguaia, coordenado pela Professora Shirlene Rohr de Souza, tem como proposta investir na formação acadêmica/docente dos futuros professores de Língua Portuguesa e de Língua Inglesa, oferecendo um conjunto de atividades que visa atender aos novos paradigmas do ensino, que incluem agora o uso de tecnologias digitais no processo educacional. Assim, com ações interdisciplinares, os 22 bolsistas dos cursos de Letras e de Computação buscam alternativas para desenvolvimento de materiais digitais específicos para ensino de línguas.

Sob a orientação da Professora Ana Carolina de Laurentiis Brandão, em 2014-2, a ênfase do subprojeto foi no ensino de Língua Inglesa, com leitura dos PCN’s, produção de materiais didáticos e aplicação desses materiais em séries do Ensino Fundamental; além disso, a fim de ajudar a desenvolver as habilidades de leitura e escrita do inglês, os alunos fizeram o Curso My English online – oferecido pelo MEC/CAPES – e participaram de workshops e de oficinas de inglês. Em 2015-1, a ênfase será no ensino de Língua Portuguesa, com atividades voltadas para a ortografia e para a leitura e produção de textos. Essa etapa do trabalho visa melhorar o texto dos próprios bolsistas de Iniciação à Docência, e fazê-los viver a experiência de trabalhar todas as etapas que envolvem a produção de texto: leituras, proposta de produção de texto e intervenção no texto do aluno, com posterior oferta de atividades que visam o aprimoramento do uso da norma padrão da Lìngua Portuguesa.

As experiências vividas nos subprojetos do PIBID diferem de outras ações que visam oferecer ao acadêmico uma experiência mínima em sala de aula, como o Estágio e as Práticas Curriculares, pois é ininterrupto: ao longo de quatro anos, o licenciando vive efetivamente a experiência cotidiana de uma escola, em toda a sua dinâmica, com todos os seus movimentos; o bolsista acompanha, em ambiente autêntico, os problemas pontuais do ensino de línguas, bem como acompanha os problemas que afetam o ensino como um todo: indisciplina, violência, alunos com défict de aprendizagem et cétera.

Além dos 22 acadêmicos dos cursos de Letras e de Computação, o PIBID Interdisciplinar de Alto Araguaia conta com a participação efetiva de 4 professores da rede estadual de ensino: 2 professoras de Língua Portuguesa: Marineide Francisca de Moraes (Escola Estadual Carlos Hugueney) e Naide Silva Carvalho (Escola Estadual Maria Auxiliadora),  e 2 professoras de Língua Inglesa: Maria Carmem Dutra (Escola Estadual Carlos Hugueney) e Mirian Gomes Rezende Farias (Escola Estadual Maria Auxiliadora). Dessa forma, além de ajudar na formação dos bolsistas de Iniciação à Docência, o subprojeto se constitui também como um programa permanente de capacitação dos professores envolvidos, o que, naturalmente, repercute diretamente na sala de aula desses professores, alcançando os alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Sobre o PIBID

O PIBID é um Programa do Ministério da Educação, gerenciado pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), cujo objetivo maior é o incentivo à formação de professores para a Educação Básica e a elevação da qualidade da escola pública.

Sendo um programa de iniciação à docência, os participantes são alunos dos cursos de Licenciatura que, inseridos no cotidiano de escolas da rede pública, planejam e participam de experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar, e que buscam a superação de problemas identificados no processo de ensino-aprendizagem.

As equipes, em diversas áreas do conhecimento, são formadas por: estudantes de graduação (licenciandos), professores das escolas públicas conveniadas (supervisores) e Coordenadores de Área (professores das IES).

Com informações da professora Shirlene Rohr de Souza e do site da CAPES.

Miguel Rodrigues Netto – Assessoria de Imprensa e Comunicação/AIA

Nov
14

ELEIÇÕES

Postado por Miguel Rodrigues

Candidaturas são homologadas pela Comissão Eleitoral

 

Foram homologadas as candidaturas aos cargos de Diretor Político-Pedagógico e Financeiro, Diretor da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas e de Coordenadores de Curso de Letras e Jornalismo. Não houve inscrição de candidato para o cargo de Coordenador do Curso de Ciência da Computação.

As eleições ocorrem no próximo dia 09 de dezembro e para os quatro em que houveram inscritos a votação será para chapa única com apenas um candidato disputando cada cargo. Conheça os candidatos que concorrem no próximo dia 09/12:

Gislaine Aparecida de Carvalho – Diretoria Político-Pedagógico e Financeira do Campus

A professora doutora Gislaine Aparecida de Carvalho concorre ao cargo de Diretora Político-Pedagógica e Financeira do Campus Universitário de Alto Araguaia. A professora é Licenciada em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Jales, possui Mestrado e Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP. Atua na UNEMAT desde 1998.

Marilena Inácio de Souza – Diretoria da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas

A professora doutora Marilena Inácio de Souza concorre ao cargo de Diretora da Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas – FALECT. A professora é Licenciada em Letras pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT. Mestre em Estudos de Linguagem pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT e Doutora em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR. Atua na UNEMAT desde 2003.

Danilo Persch – Coordenação do Curso de Licenciatura em Letras

O professor doutor Danilo Persch concorre ao cargo de Coordenador do Curso de Licenciatura em Letras. O professor é Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUCCAMP e Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR. Atua na UNEMAT desde 1997.

Antônia Alves Pereira – Coordenação do Curso de Bacharelado em Jornalismo

A professora mestre Antônia Alves Pereira concorre ao cargo de Coordenadora do Curso de Bacharelado em Jornalismo. A professora é Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT e Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo – USP. Atua na UNEMAT desde 2014.

Confira os atos de homologação das candidaturas:

HOMOLOGAÇÃO CAMPUS

HOMOLOGAÇÃO FACULDADE

HOMOLOGAÇÃO LETRAS

HOMOLOGAÇÃO JORNALISMO

As informações sobre os professores foram coletadas com base no currículo da plataforma lattes.

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

Nov
14

PTES

Postado por Miguel Rodrigues

Sindicato dos Técnicos elege nova diretora, conselhos e seções sindicais 

O Sindicato dos Técnicos da Educação Superior – SINTESMAT divulgou o resultado da eleição para a nova diretoria executiva, membros dos conselhos fiscal, de ética e também das seções sindicais. Ao todo a chapa intitulada seguindo na luta obteve 300 votos e foi eleita para o biênio 2015/2016.

A nova diretoria executiva será composta por Luiz Wanderlei dos Santos – Presidente, Jeferson Odair Diel – Vice-presidente, Luizito Sales da Costa – Secretário Geral, Josemara Sabrina dos Santos – 1ª Secretária, Luiz Mar Faquini Junior – Tesoureiro Geral, Daniel Ferraz Buhler – 1º Tesoureiro, Carlos Roberto dos Santos Júnior – Coordenador de Assuntos Jurídicos, Kleber Magalhães Ferreira – Coordenador de Assuntos Socioculturais e Esportes, Gabriel Schardong Ferrão – Coordenador de Gestão de Pessoas, Contratos e Convênios e Eder Correia Salomão – Coordenador de Comunicação Sindical.

Os membros eleitos para comporem o Conselho Fiscal foram: Odair José da Silva, Marlon Borges dos Santos, Ednamar Gabriela Palú, Adalgisa Marques Amorim Silva e Amir Fonseca Montecchi Júnior. Para o Conselho de Ética foram eleitos: Welton Neves Vilela, Jonilson Pinto de Miranda, Alessandro Carvalho de Melo, Marcelo Berigo e Claudinei da Silva Lara.

Com relação as seccionais foram eleitas diretorias nos seguintes locais: Alta Floresta, Barra do Bugres, Cáceres, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Sede Administrativa, Sinop e Tangará da Serra.

Sobre o SINTESMAT

O Sindicato dos Técnicos da Educação Superior – SINTESMAT é a entidade de representação sindical dos integrantes da carreira dos Profissionais Técnicos da Educação Superior – PTES da UNEMAT. Fundado em 25 de fevereiro de 2008 no I Congresso dos Técnicos da Educação Superior – CONTESMAT, o sindicato tem desenvolvido suas ações em prol da melhoria da carreira dos PTES. Em 2008 um novo PCCS foi implantado com a LC 321/2008, o que representou grande avanço na categoria. Já em 2013 uma nova mudança resultou na LC 501/2013, onde outras reivindicações foram atendidas. No Congresso Universitário da UNEMAT realizado em 2008 uma das conquistas mais importantes para a categoria foi o voto paritário para eleição de todos os dirigentes da instituição.

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

Nov
13

PERDA

Postado por Miguel Rodrigues

Morre o poeta Manoel de Barros, aos 97 anos

Recluso, autor criou linguagem própria, transformando a natureza em matéria-prima para versos 

 

O escritor cuiabano Manoel de Barros morreu nesta quinta-feira, aos 97 anos. Ele foi internado no dia 24 de outubro no Proncor, em Campo Grande (MS), para uma cirurgia de desobstrução do intestino. A causa da morte ainda não foi divulgada. O escritor completaria 98 anos em 19 de dezembro.

Em agosto de 2013, quando perdeu seu segundo filho, o primogênito Pedro, vítima de um AVC (cinco anos depois de João, que morreu num acidente de avião), Manoel de Barros desabou. A filha Martha afirmou, então, que depois da perda, e por causa da idade, “ele estava se apagando como uma velinha”. Uma imagem poética que faz jus a um personagem cuja dedicação aos versos teve o afinco e a simplicidade de quem vê o mundo pela lente da beleza.

Nos últimos anos, por conta da saúde debilitada, praticamente não saía de casa, em Campo Grande, sob os cuidados da filha e da mulher, Stella, com quem estava casado desde 1947. No ano passado, antes de completar 97 anos, ainda escreveu o poema “A turma”, e então se recolheu no silêncio. Não conseguia mais escrever e se alimentava com dificuldade.

Isso não significava que as edições de seus livros estivessem no limbo. Suas obras continuam despertando a atenção dos leitores-admiradores. Em fevereiro, a editora Leya lançou uma caixa com sua poesia completa, composta de 18 livros (incluindo o poema inédito). No final de outubro, o selo Alfaguara (Objetiva) anunciou a contratação da obra do poeta, que começará a ser reeditada no segundo semestre de 2015.

Além disso, dezenas de cartas que o escritor trocou com figuras como o bibliófilo José Mindlin, o embaixador Mário Calábria e o editor Ênio Silveira foram levantadas por pesquisadoras e, podem, no futuro, serem reunidas em livro.

Nascido em Cuiabá em 1916, Manoel era filho do capataz João Venceslau Barros. Viveu por muitos anos em Corumbá (MS), antes de se mudar para a capital sul-mato-grossense.

Ainda criança, passava longas temporadas na fazenda do pai, no Pantanal, onde desenvolveu o olhar para os movimentos da natureza. Engana-se, porém, quem o vê como um “poeta do Pantanal”, rótulo que ele sempre recusou. “A poesia mexe com palavras e não com paisagens”, justificava.

VISIONÁRIO DA HUMILDADE

Manoel foi aluno interno em escolas em Campo Grande e depois no Rio de Janeiro. Quando cursava o internato São José, na Tijuca, descobriu os sermões do padre Antonio Vieira, com quem aprendeu “a beleza de uma sintaxe”.

Jovem estudante de Direito na então capital federal, acabou se envolvendo com figuras comunistas da cena carioca. Mas, depois de romper com o Partido Comunista ao saber que Luis Carlos Prestes deu seu apoio à Getúlio Vargas, desiludiu-se com a política e resolveu viajar.

Passou por Bolívia e Peru (“vivendo como um hippie”, dizia), antes de chegar a Nova York. Na cidade americana, viu “as novidades do mundo” e fez cursos de cinema e artes plásticas. Na volta ao Brasil, conheceu a mineira Stella no Rio de Janeiro e três meses depois já estava casado.

Mesmo sendo considerado um dos maiores autores brasileiros, comparado frequentemente a Guimarães Rosa e ao português Fernando Pessoa, sua reclusão por tantas décadas em terras pantaneiras e a timidez acabaram dificultando a divulgação de sua obra. Nos anos 1980, admiradores famosos de seus versos, como Millôr Fernandes e Antônio Houaiss, começaram a divulgar poemas de Manoel de Barros, ou a citá-lo em colunas de jornais.

O filólogo, que admirava o poeta desde o seu primeiro livro, via nele um “visionário da humildade e solidariedade humanas”. Já Carlos Drummond de Andrade chegou a declarar que o cuiabano era o “maior poeta brasileiro” vivo. O sucesso do filme “Caramujo-flor” (1989), do cineasta sul-matogrossense Joel Pizzini, ensaio visual baseado na vida e na obra de Manoel, também responsável pelo reconhecimento tardio.

Com tantos elogios, Manoel começou a chamar atenção das editoras e do público. Ganhou dois prêmios Jabutis (por “O guardador de águas”, em 1989, e “O fazedor do amanhecer”, em 2002) e teve livros publicados em Portugal, França, Espanha e Estados Unidos. Em 1998, recebeu o Prêmio Nacional de Literatura do Ministério da Cultura, pelo conjunto do seu trabalho.

Sua obra mais conhecida é “O livro sobre o nada”, lançada em 1996, no qual aperfeiçoou o seu autodeclarado “idioleto manoelês archaico” — uma linguagem própria criada para transmitir o desregramento dos sentidos. O autor, contudo, considerava seu primeiro livro, “Poemas concebidos sem pecado”, de 1937, o melhor.

Em 1998, o autor explicou seu processo de escrita em entrevista ao GLOBO:

— Eu estou trabalhando com a palavra e aí me vem uma ideia. E por isso não acredito em inspiração, acredito em trabalho.Mas sei também que transformar palavra em verso, combinar o ritmo com a ressonância verbal, é um dom linguístico. Tenho frases poéticas que são versos. Sei fazer frases.

POPULAR, MAS POUCO AVALIADO

Embora tenha sido por várias vezes o poeta que mais vendeu livros no Brasil, Manoel chegou a comentar que gostaria de também ter sido mais avaliado pelos grandes críticos literários do país, relatou a pesquisadora e professora de Letras da UFMG Lúcia Castello Branco em entrevista ao caderno Prosa, em fevereiro deste ano.

O escritor é objeto frequente da academia, por meio da realização de dissertações e teses, mas, na opinião dela, a crítica deixa a desejar. Em uma reportagem do “Jornal do Brasil” de 1988, na qual era descrito como “o poeta que poucos conhecem”, Manoel explicou os motivos do seu isolamento: “Não tenho boa convivência com a glória. Acho que ela me perturbaria. Preciso muito do escuro”.

No documentário “Só dez por cento é mentira”, lançado em 2008 por Pedro Cezar, ao ser indagado sobre como gostaria de ser lembrado, Manoel ri, coça o peito, diz que a pergunta é cruel; já mais sério, fala que o único jeito é pela poesia. “A gente nasce, cresce, amadurece, envelhece, morre. Pra não morrer, tem que amarrar o tempo no poste. Eis a ciência da poesia: amarrar o tempo no poste”.

Matéria publicada no portal do jornal O Globo do Rio de Janeiro.

Miguel Rodrigues Netto - ASSICOM/AIA. 

Nov
07

ELEIÇÃO NOS CURSOS

Postado por Miguel Rodrigues

Cursos de Ciência da Computação, Jornalismo e Letras abrem processo eleitoral para coordenadores

Estão abertos os processos eleitorais para a escolha dos próximos Coordenadores dos Cursos de Ciência da Computação, Jornalismo e Letras do Campus Universitário de Alto Araguaia.

Os interessados podem ser inscrever até o próximo dia 12 de novembro das 8 às 18 horas junto a Comissão Eleitoral instituída pelo Ato de Designação 002/2014 – DPPF composta por 07 docentes, 02 técnico-administrativo e 01 discente conforme proporcionalidade estabelecida pelo Estatuto da Unemat. A comissão é presidida pelo professor Gibran Luís Lachowsky.

Para se inscrever ao cargo de Coordenador de Curso, o interessado deve preencher os seguintes requisitos conforme os Editais 003/2014 (Computação) 004/2014 (Letras) e 005/2014 (Computação):

a) Efetividade no cargo do Magistério Superior da UNEMAT;

b) Estar lotado na Faculdade de Letras, Ciências Sociais e Tecnológicas (FALECT) do Campus e ministrar ao menos uma disciplina no Curso para o qual se está candidatando;

c) Titulação mínima de Mestre.

O colégio eleitoral para a eleição de Coordenador de Curso é composto pelos docentes que ministrem ao menos 1 (uma) disciplina no curso, os Profissionais Técnicos da Educação Superior (PTES) vinculados ao curso e que estejam desenvolvendo suas atividades na Coordenação do Curso, na Faculdade, na Supervisão de Apoio Acadêmico ou nos laboratórios e os discentes matriculados no curso.

O Colégio Eleitoral para a presente eleição é formado pela totalidade dos docentes e PTES vinculados e discentes matriculados no Curso. Considera-se vinculado o docente que ministrar, no Curso, ao menos uma disciplina no semestre em que ocorrer a eleição. Considera-se vinculado ao Curso o PTES que atuarem em atividades específicas do Curso e estejam desenvolvendo suas atividades na Coordenação do Curso, na Faculdade na qual o Curso é vinculado, na Supervisão de Apoio Acadêmico ou nos laboratórios, caso o Curso utilize laboratórios. Poderão votar os alunos do Curso regularmente matriculados em pelo menos uma disciplina no semestre 2014/2.

O voto é secreto, direto e paritário entre os três segmentos da Unemat. As eleições ocorrerão no dia 09 de dezembro no período das 09 às 22 horas, considerando-se o horário praticado no campus de Alto Araguaia.

O mandato de Coordenador de Curso é de 2 (dois) anos, nos termos do art. 62 do Estatuto da Unemat.

Confira quais são as atribuições do coordenador de curso conforme o Estatuto da Unemat:

Art. 63 Ao Coordenador de Curso compete:

I. Administrar o Curso;

II. Convocar e presidir as reuniões do Colegiado de Curso;

III. Tomar as providências de ordem administrativa, financeira, disciplinar e didático-científica-pedagógica, necessárias ao funcionamento do Curso;

IV. Submeter à apreciação do Colegiado de Curso o plano de atividades do curso a ser desenvolvido no período letivo;

V. Encaminhar aos órgãos competentes as informações referentes ao Curso necessárias à elaboração de planos de trabalho e do orçamento da unidade;

VI. Apresentar à Faculdade e ao Colegiado Regional, após apreciação do Colegiado de Curso, o relatório de avaliação das atividades do curso;

VII. Distribuir as ações de ensino, bem como orientar e supervisionar a execução das respectivas atividades;

VIII. Controlar a assiduidade do pessoal docente do Curso, encaminhando seu registro à Coordenação do Campus, para providências;

IX. Cumprir e fazer cumprir o calendário acadêmico e os planos de ensino, pesquisa e extensão;

X. Encaminhar à Faculdade em tempo hábil as eventuais substituições de docentes;

XI. Ter sob sua responsabilidade os bens patrimoniais alocados ao Curso;

XII. Responsabilizar-se pela regularização dos cursos ofertados, através do encaminhamento, às instâncias competentes, da documentação pertinente às ações de autorização, reconhecimento ou renovação de reconhecimento, atendendo as legislações pertinentes;

XIII. Encaminhar à Faculdade o levantamento de vagas existentes nos cursos;

XIV. Adotar medidas essenciais à eficiência do Curso.

EDITAL LETRAS

EDITAL JORNALISMO

EDITAL COMPUTAÇÃO

Miguel Rodrigues Netto – ASSICOM/AIA

 

?>